segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Papeis Velhos: TEATRO (livros em PDF)


Reunimos neste espaço grande variedade de obras teatrais oriundas dos melhores e maiores acervos digitais disponíveis na Rede Mundial de Computadores (em Língua Portuguesa), tais como: Google BooksBiblioteca Brasiliana da USPBiblioteca Digital de Literaturas de Língua PortuguesaBiblioteca Digital da UnicampBiblioteca Digital NacionalBiblioteca Pública Benedito LeiteBiblioteca Nacional de PortugalInternet Archive Projects e do site Domínio Público.

Todos os livros aqui divulgados estão armazenados na plataforma externa  do "Google Drive" , sendo em todas elas mantida a ortografia original conforme digitalização de seus respectivos acervos.

Para um melhor aproveitamento do conteúdo digital e, conforme nossas possibilidades de tempo, buscaremos transladar muitas dessas obras para o padrão ortográfico atual, adequando-as a um modelo gráfico que torne a leitura mais fluida e proveitosa.

A todos, boa leitura!
Iba Mendes
12/08/2018.




Livros em PDF


A. Correa - Homens de bem (1875) 🔻
A. Ferreira - Virgínia (versão de Alexandre Guiraud, 1853) 🔻
Abel Hermant e Yves Mirande - A Herança da Criada (1917) 🔻
Adolfo de Varnhagen - Amador Bueno (drama épico, 1847) 🔻
Afonso Celso - Giovannina (1896)
 🔻

Afonso Celso - O Gorro de Papai (1898) 🔻
A. J. P. Varela - O Silvestre e o Selvagem (1862) 🔻
Alfredo Ataíde - O Colar (1857)
 🔻
Alfredo Hogan - Não Julgue pela aparência (1857)
 🔻

Alfredo Hogan - O Colono (1861) 🔻
Alfredo Hogan - Os Dissipadores (1858) 🔻
Alfredo Hogan - Pilatos no Credo (comédia, 1862) 🔻
Alarico em Roma
 (comédia, 1783)
 🔻
Almeida Garret - A Sobrinha do Marquês (1877)
 🔻

Almeida Garret - Catão (1821) 🔻
Almeida Garret - Frei Luís de Sousa (1859) 🔻

Almeida Garret - O Alfageme de Santarém ou A Espada do Condestável (1842) 🔻
Almeida Garrett - O noivado no dáfundo - ou, cada terra com seu uso, cada roca com seu fuso (1858)
 🔻
Alexandre Dumas Filho - A Estrangeira (versão portuguesa, 1878) 🔻
Alexandre Dumas - Lourencinho (tradução de F. A. Barros, 1848) 🔻
Alexandre Herculano - O fronteiro de África ou três noites aziagas (1862) 🔻
Américo Azevedo - 
Os milagres de São José de Ribamar (1899) 🔻
Amor astucioso, ou O magnífico (1787)
 🔻

A Mulher Moderna (1927) 🔻
André Mycho - Está bem, Maria! (tradução, 1919) 🔻
André Mycho - Os Milhões da Corcundinha (1917) 🔻
André Mycho - Um Conto (tradução, 1919) 🔻
Antônia da Costa Rodrigues Lopes - Comédias e provérbios (1862) 🔻
Antônio da Costa de Sousa de Macedo - Molière (1851) 🔻
Antônio Feliciano de Castilho - O Médico à força (1869) 🔻
Antônio Ferreira - Tragédia de D. Inês de Castro 🔻
Antônio Firmino da Silva Campos e Mello - D. Rodrigo (1842) 🔻
Antônio Gomes da Silva - Auto do Grau (1905) 🔻
Antônio Joaquim da Silva Abranches - O cativo de Fez (1840)
 🔻
Antônio Joaquim de Mesquita e Melo - O tutor da pupila rica; ou, O amor por cópia (1876) 🔻
Antônio José da Silva (O Judeu) - Guerras do Alecrim e mangerona 🔻
Antônio Pereira da Cunha - A Herança do Barbadão (1848) 🔻
Antônio Pereira Ferrea Aragão - Afonso e Virgínia (1854) 🔻
Antônio Xavier Pinto de Campos - O Ermitão da Serra de Sintra (1850) 🔻
A. P. Aragão - O Cego da Fonte de Santa Catarina (1842) 🔻
Aragão e Lima - Drama (1794) 🔻
Aristides Abranches - Istambul (comédia, 1857) 🔻
Aristides Abranches  - O reino das fadas (1860)
 🔻
Arnaldo Gama - O sargento-mor de Vilar (1874) 🔻
Arquivo Teatral: 1 - O meu amigo Grandet", 2 - Sete horas ou Carlota Corday, 3 - Lisbeth ou a Filha do Lavrador, 4 - O Homem pardo, 5 - Bertrand e Raton, ou A Arte de Conspirar, 6 - Os primeirosd amores de Henrique IV, 7 - O Tributo das cem virgens, 8 - A Freira Sanguinária, 9 - O Cigano, 10 - A família de Nazarini, 11 - O fugido da Bastilha (e outras, 1843) 🔻
A Sucessão (comédia, 1907) 🔻
Artur Azevedo - A flor de lis (1882) 🔻
Augusto de Lacerda - A probidade (1859) 🔻
Augusto de Lacerda - O Monarca das Coxilhas (1867) 🔻

Azevedo e Silva - A Cruz (1849) 🔻
Augusto de Castro - A ninhada de meu sogro (1863)
 🔻

Augusto Loureiro - A Justiça de Deus (1868) 🔻
Augusto Pinto Pacca - O Vício em Doutrina (1862) 🔻
Barbeiro dos Pobres - O Sino das Duas Horas (1840) 🔻
Bento Leão - D. Nuno Álvares Pereira (1848) 🔻
Bento Leão Cunha Carvalhaes - Dulce 1850) 🔻
Bocage - Eufêmia, ou, O triunfo da religião (1825) 🔻
Câmara Coutinho - O Xale, drama familiar (1823)
 🔻

Camilo Castelo Branco - Abençoadas lágrimas! (1866) 🔻
Camilo Castelo Branco - Flores e Espinhos (1857) 🔻
Camilo Castelo Branco - O Marquês de Torres Novas (1849) 🔻
Camilo Castelo Branco - A Morgadinha de Val-de-Amores (1871) 🔻
Camilo Castelo Branco - Purgatório e Paraíso (1871) 🔻
Camilo Castelo Branco - Romance de um homem rico (1861) 🔻
Campos Júnior - Os Templários (1842)
 🔻
Campos Monteiro - A Matemática: Monólogo (1906) 🔻
Cardoso de Carvalho - Os dois proscritos ou A Restauração de Portugal em 1640 (1858) 🔻
Carlos Augusto da Silva Pessoa - A escada de mão (comédia, 1850) 🔻
Carlos Augusto da Silva Pessoa - Um duelo em campolide (1871) 🔻
Carlos Góis - O Governador das Esmeraldas, Fernão Dias Paes Leme (1911) 🔻
Casimiro de Abreu - Camões e o Jau (1856) 🔻

Castro Alves - Gonzaga ou A Revolução de Minas (1875) 🔻
César de Lacerda - Cenas de família (1857) 🔻
César de Lacerda - Dois mundos (1886)
 🔻
César de Lacerda - Homens do Mar (1864)
 🔻
César de Lacerda - Homens e Feras (1874) 🔻
César Vasconcelos Correia - O Anjo Maria (1858)
 🔻
Chichorro da Gama - Libertas que sera tamen: baseado na conjuração mineira (1905) 🔻
Coelho Neto - Quebranto (1908) 🔻
Coelho Neto - Teatro (1911) 🔻
Congreve - A Noiva de Luto (tradução, 1817) 🔻
Constance D'Arcy Mackay - O Mágico (peça infantil) 🔻
Corneille - O Cid (tradução de Manuel Figueiredo, 1805)
 🔻
Costa Braga - Paulo e Maria ou A Escravatura branca (1859) 🔻
Crales Foley -
O Primo Rico (1918) 🔻
Cruz de Lacerda - O Defensor da Igreja (1858) 🔻
Cunha Bellem - O Pedreiro Livre (1877)
 🔻
Demétrio Álvares - Nuvens... (1906) 🔻
Diálogo entre dois mortos (1810) 🔻
Diogo José Seromenho - Cenas do Brasil (1875) 🔻
Diogo José Seromenho - O amante emprestado (comédia, 1877) 🔻
Domingos Caldas Barbosa - A vingança da Cigana (1794) 🔻
Domingos da Fonseca - Manuel Beckman (1888) 🔻
D. R. Formosinho - Sorrisos e Lágrimas (1869) 🔻
Duarte José de Melo Pitada - A conversão de um calceta (1868) 🔻
Édipo, tradução de Manuel Figueiredo (1810) 🔻
Eduardo Coelho - Amor e Amizade (1860) 🔻
Eduardo Salomé - 
O Livro de Orações (1868) 🔻
Eduardo Santos - Os amores de Antonico-Juca (1876)
 🔻

Eduardo Vera, Achille de Lauzières, Antônio Feliciano de Castilho - Adriana Lecouvreur (ópera, 1838) 🔻
Elie de Bassan - As Minas de Ganeffontein (tradução, 1919) 🔻
Eneias em Getúlia (ópera) 🔻
Ernesto Ferreira França - Lindoia (1859)
 🔻

Ernesto Biester - A Redenção (1856) 🔻
Ernesto Biester - Os homens sérios (1858) 🔻
Ernesto Biester - Os operários (1865) 🔻
Ernesto de Hervilly - A Terrina (tradução de Adelina Lopes Vieira, 1906) 🔻
Ernesto Pego de Kruger Cibrão - Luís: Drama (1860) 🔻
Ernesto Biester - Um Quadro da Vida (1855) 🔻
Felinto de Almeida - Entrevista (1906) 🔻
Filinto Elísio - Medeia (1901) 🔻
Flers E. G de Caillavet - Em vez de um, dois 🔻
F. Otaviano - As Tribulações de um Cônego (1875) 🔻
França Júnior - Direito por linhas tortas (1870) 🔻
França Júnior - Meia hora cinismo (1861) 🔻
França Júnior - O defeito de família (1871) 🔻
França Júnior - Trabalho para as mulheres 🔻
Furtado Coelho - O Agiota (comédia, 1858) 🔻
Francisco de Abreu Medeiros - A Morte do galo (1863) 🔻
Francisco de Sá Noronha - Tagir (melodrama, 1876) 🔻
Francisco Dias - Electra (1798) 🔻
Francisco Duarte de Almeida e Araújo - Vasco da Gama, ou O descobrimento da Índia por mar (1870) 🔻
Francisco Gomes de Amorim - 1. A Abnegação; 2. A Viúva (1870) 🔻
Francisco Gomes de Amorim - O cedro vermelho (1874) 🔻
Francisco Joaquim da Costa Braga - O que são as riquezas?! (1858) 🔻
Francisco Luís Coutinho de Miranda -  À hora do crime (1871)
 🔻

Francisco Soares Franco - Hermínia (1793) 🔻
Franklin Távora - Três lágrimas (1870) 🔻
Franklin Távora - Um mistério de família (1877) 🔻
Frederico de Sousa Pinto - Ernesto e Clara, ou a Heroína lusitana (1828) 🔻
Frei Antônio de Saldanha - Auto do Caseiro (1632) 🔻
Gabriel Timmory - As Proezas de Luciana (1917) 🔻
Gastão Fausto da Câmara Coutinho - O Estalajadeiro 🔻
Gil Vaz - Viagem à roda da Parvônia (1900) 🔻
Gil Vicente – Teatro Completo 🔻
Gomes de Amorim - Gigi (drama, 1852)
 🔻
Gomes de Sousa - O Espectro da Floresta (1856) 🔻
Gonçalves de Magalhães - Antônio José ou o poeta e a inquisição (1839) 🔻
Gonçalves de Magalhães - Antônio José, Olgiato, e Otelo (1865) 🔻
Gonçalves de Magalhães - Olgiato (1841) 🔻
Goulart de Andrade - Renúncia 🔻
Guerra Junqueiro - Pátria (1896) 🔻
Guilherme Wolff e Yves Mirande - O Suicida (1917) 🔻
Guillaume Wolff - Jogo Duplo (tradução, 1918) 🔻
Henrique Freire - A profecia, ou A edificação do Convento de Jesus (1864) 🔻
Henrique José de Castro - Lauso (tragédia, 1790) 🔻
Henry Lavedan - A Moda e a Guerra 🔻
Inácio Maria Feijó - A Torre do Corvo (1857) 🔻
Isidoro Sabino Ferreira - Memórias do ator Isidoro (1876) 🔻
Jean Jullien - Mick e Lip (1918) 🔻
João Antônio Gonçalves da Cal - Amélia ou O sedutor (1849) 🔻
João de Lacerda - A Coroa de Artista (1864) 🔻
João Machado Pinheiro Correa de Melo (Visconde de Pindella) - Uma Vingança (1855) 🔻
João Maurício Wanderley (Barão de Cotegipe) - Os orçamentívoros ou comédia dos deuses 🔻
Joaquim Gomes de Oliveira e Paiva - Elogio dramático em três épocas (1852) 🔻
Joaquim José Ferreira da Silva - Pacaí, chefe da tribo dos tupinás; ou, Pedro Álvares Cabral descobrindo o Brasil (1874) 🔻
Joaquim José Sabino - Nova Castro (1818) 🔻
Joaquim José Sabino - Policena (1791) 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - A torre em concurso (1863) 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - Cincinato quebra-louça (1873) 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - Lusbela (1863) 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - Luxo e vaidade (1860) 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - O fantasma branco (1863) 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - Remissão de pecados (1870) 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - Romance de uma velha 🔻
Joaquim Manuel de Macedo - Teatro Completo 🔻
Joaquim Serra - Coisas da moda (1867) 🔻
Joaquim Serra - Quem tem boca vai a Roma (1863) 🔻
J. M. Groot Pinto - A apóstata (1850) 🔻
Joracy Camargo - Anastácio 🔻
José Agostinho de Macedo - Branca de Rossis (1819) 🔻
José Albano - Comédia Angélica (1918) 🔻
José Anastácio Falcão - O alfaiate constitucional (1821) 🔻
Joaquim Augusto de Oliveira - O Paraíso Perdido ou a Criação e o Dilúvio (1864) 🔻
José Carvalho - D. Bárbara (1916) 🔻
José da Fonseca Moreira - Diabos, fantasmas e credores (1884) 🔻
José da Fonseca Moreira - Três vezes quatro (1884) 🔻
José da Silva Leal Mendes - O Homem de Ouro (drama, 1855)
 🔻
José da Silva Leal Mendes - Pedro (drama, 1857) 🔻
José de Alencar - Mãe (1862) 🔻
José de Almada e Lencastre - Ambições de um eleitor (1857) 🔻
José de Almeida e Lencastre - A Profecia ou A Queda de Jerusalém (1852)
 🔻
José de Torres - Tudo no mundo é comédia (1860) 🔻
José de Vasconcelos Hasse - A conversão de um agiota (1860) 🔻
José Freire de Serpa Pimentel - D. Sisnando, conde de Coimbra (1838)
 🔻
José Freire de Serpa Pimentel - O Almançor Aben-Afan, último rei do Algarve (1840)
 🔻

José Inácio de Araújo - A Princesa de Arrantella (1860) 🔻
José Inácio de Araújo - A sombra do sineiro (1860) 🔻
José Inácio de Araújo - Um bico em verso (1860)
 🔻

José Joaquim de Carvalho Júnior - Os engajadores (1877) 🔻
José Luís da Costa - Quem com ferro mata com ferro morre (1852) 🔻
José Maria Aonso - O crime, ou, vinte anos de remorsos (1847) 🔻
José Maria Bordalo - A tomada de Santarém por D. Afonso Henriques, ou, O cativo de Abzecri (1842)
 🔻
José Maria da Silva Leal - O intrigante de Veneza (1839)
 🔻

José Maria de Andrade Ferreira - Graziela (1861) 🔻
José Maria de Avelar Brotero - O Tumulto do povo em Évora, 1635 (1845) 🔻
Jules Chancel - As Surpresas da Guerra (tradução, 1919) 🔻
Júlia Lopes de Almeida - Teatro – 1.“Quem não perdoa”, 2. “Doidos de amor”, 3. “Nos jardins de Saul” (1917) 🔻
Júlio César Leão - Luísa e Marçal (1861) 🔻
Júlio César Machado - O anel de aliança (comédia, 1856) 🔻
Júlio César Machado e Alfredo Hogan - A Vida em Lisboa (comédia, 1861) 🔻
Lopes de Mendonça - Afronta por afronta (1849) 🔻
Lopo de Figueiredo, ou: A corte de D. João II (1839) 🔻
L. A. Burgain - Luís de Camões 🔻
L. A. Burgain - Três Amores ou O Governador de Braga (1848) 🔻
Lacerda Coutinho - Quem desdenha quer comprar (1868) 🔻
Lobo Souza - O Emparedado (1841) 🔻
Lord Byron - Manfredo (versão livre por Pires de Almeida, 1901) 🔻

Louis Forerst - Um Dia de Chuva (1917) 🔻
Luís de Abreu Medeiros - Manda quem pode 🔻Luís de Melo Ataíde - Lágrimas e Rosas (1921) 🔻
Luís José - Cristierno, rei de Dinamarca, viajando incógnito pelos seus estados, ou A constância e heroísmo (1841)
 🔻Luís José Baiardo - O Marquês de Pombal, Sebastião José de Carvalho e Melo, ou, O terremoto de 1755 (drama, 1839) 🔻

Lúcaros - Pontos nos is (peça infantil) 🔻
Lucien Perrey - Vizinhos de Campo (tradução, 1918) 🔻
Manuel de Aboim - Cada louco com sua mania (1860) 🔻
Manuel de Figueiredo - A mocidade de Sócrates (comédia, 1805) 🔻
Machado de Assis - Teatro (1863) 🔻
Madalena e Helena (drama, 1875) 🔻
Malheiro Dias - O Dominó Negro (1917) 🔻
Mandane, Rainha da Pérsia (1821) 🔻
Maria Cândida de Assis Vianna - Amor e perfídia (1866) 🔻
Maria Eugênia Celso - O Despertar da Redentora (Princesa Isabel) 🔻
Maria Ribeiro - Cancros sociais (1865) 🔻
Maria Thiery - O Afinador (tradução, 1918) 🔻
Manços de Asia - O verdadeiro matrimônio (1880) 🔻
Manuel Antônio de Almeida - Dois Amores (1861) 🔻
Manuel de Araújo Porto-Alegre - A estátua amazônica (1851) 🔻
Manuel de Araújo Porto-Alegre - Os Voluntários da Pátria (1877) 🔻
Manuel Caetano Pimenta de Aguiar - D. João I (tragédia, 1817) 🔻
Manuel Caetano Pimenta de Aguiar - Os dois irmãos inimigos (1816) 🔻
Manuel Leite Machado - Os Lusitanos (1860) 🔻
Maurice Leblanc - Coração Surpreendido (1918) 🔻
Martins Pena - Comédias 🔻
Mendes Leal - A bela Helena (1869) 🔻
Mendes Leal - À cata do Manel (1877) 🔻
Mendes Leal - A herança do chanceler (comédia, 1855)
 🔻

Mendes Leal - A pobre das ruínas (1846) 🔻
Mendes Leal - Egas Moniz (1862) 🔻
Mendes Leal - Madressilva (1847)
 🔻

Militão de Sousa Neiva - Morreu o meu cadáver (1884) 🔻
Mendes Leal - O Homem da Máscara Negra (1857) 🔻
Mendes Leal - Os dois renegados (1839) 🔻
Mendes Leal - Os homens de mármore (1862) 🔻
Mendes Leal - Receita para curar saudades (1857) 🔻
Méry e Camillo Du Locle - D. Carlos - Ópera (1979)
 🔻

Molière - A Escola dos Maridos (tradução de Artur Azevedo, 1897) 🔻
Molière - As Sabichonas (versão de Antônio Feliciano de Castilho, 1872) 🔻
Molière - O Avarento (tradução de Antônio Feliciano de Castilho, 1871) 🔻
Molière - Sganarello (tradução de Artur Azevedo, 1899) 🔻
Moliere - Tartufo (tradução, 1880) 🔻
Molière - Tartufo (tradução de Castilho)
 🔻

Monteiro Rebelo - Ânsias da vida (1871) 🔻
Mouezy-Eon e Nazamey - O Crime do Sr. Pompeu (tradução, 1918) 🔻
Mr. de la Motte - Inês de Castro (1792) 🔻
Mr. e Mme. Pipelet - 
Dos Mistérios de Paris (1858) 🔻

M. S. A. - Nobreza e Amor (1874) 🔻
Norberto de Sousa - 
Amador Bueno ou a fidelidade paulistana (1855) 🔻
O Baile da Princesa (1875) 🔻
O Candidato e o Eleitor (comédia, 1881) 🔻
O Capadócio - Paródia burlesca da ópera O Trovador
(1872)
 🔻

O Cinco de Dezembro de 1833 ou O Cônego Inês (1835) 🔻
Octave Feuillet - Dalila (tradução de A. de Serpa, 1856) 🔻
O Fenômeno ou O Filho do Mistério (1858) 🔻
Olímpio de Barcellos - Juarez (drama, 1877) 🔻
O Noivo astucioso e o velho enganado 🔻
Opressão e Liberdade
 (1862)
 🔻
Osmia
, tragédia de assunto português (1835)
 🔻

O Verdadeiro Heroísmo, ou O anel de ferro (1822) 🔻
O virtuose moribundo (1807) 🔻

Paulo Eiró - Sangue limpo (1863) 🔻
Paulo Giacometti - Maria Antonieta (versão de Ernesto Biester, 1872) 🔻
Paulo Midosi - O magnetismo (1857)
 🔻

Paulo Midosi - O misantropo (1853) 🔻
Paulo Midosi - Uma cena de nossos dias (farsa, 1843)
 🔻

Pedro Carlos de Alcântara Chaves - O ferro velho (1866) 🔻
Perini de Lucca - A Véspera de um Desafio na regência de D. João Primeiro (1848) 🔻
Pierre Weber - A Noiva do José (1918) 🔻
Pierre Weber - Um Camarote para o Fausto (1917) 🔻
Pietro Antônio Coppola - Joana I, rainha de Nápoles (melodrama, 1866) 🔻
Pinheiro Chagas - A Judia (1869) 🔻
Pinheiro Guimarães - História de uma moça rica (1861) 🔻
Pires de Almeida -  (1901) Ave, Libertas! (monodrama, 1901) 🔻
Pires de Almeida - Aspásia ou Idealismo e Matéria (1901) 🔻
Pires de Almeida - O Doente sem o ser (1901) 🔻

Pires de Almeida - Tempestades do Coração (1901) 🔻
Por um triz Coronel: Provérbio em um Ato (1880) 🔻
Públio Terêncio - Primeiras quatro comédia (traduzidas para o português por Leonel da Costa, 1789)
 🔻
Quintino Bocaiúva - Os mineiros da desgraça (1862) 🔻
Racine - Atalia (tradução de Cândido Lusitano, 1762) 🔻
Racine - Átila (tradução, 1762) 🔻
Racine - Bajazeto (tragédia traduzida para o português, 1822) 🔻
Racine - Fedra, Sêneca - Hipólito (tradução de Mendo Trigoso, 1833) 🔻
Rafael Biester - Rafael (drama, 1853) 🔻
Raimundo de Queirós Sarmento - O casamento do filho do vaqueiro (1864) 🔻
Raul Pederneiras - A  Cabra Cega (Teatro infantil, 1897) 🔻
Rebelo da Silva - A casa dos fantasmas (1865) 🔻
Rebelo da Silva e Ernest Obiester - A Mocidade de D. João V (1856)
 🔻
Ribeiro da Silva - 
Cora, a filha de Hagar (1884) 🔻
Robert Francheville - O Anúncio (tradução, 1918) 🔻
Rodrigo Otávio - Sonhos Funestos (1895) 🔻
Romain Coolus - Amor e Literatura (tradução, 1919) 🔻
R.T. de S. Carlos - O Profeta (1858) 🔻
Sabbas da Costa - Bequimão (1866) 🔻
Sabbas da Costa - D. Pedro V ou O Moço Velho (1862) 🔻
Sabbas da Costa - Francisco II ou A Liberdade da Itália (1861) 🔻
Sabbas da Costa - Garibaldi ou O seu primeiro amor (1861) 🔻
Sabbas da Costa - O Barão do Oyapock (1863) 🔻
Sabbas da Costa - O Escritor Público (1862) 🔻
Sabbas da Costa - A Buenadicha (1862) 🔻
S. Carlos - Os fabricantes de moeda falsa (melodrama, 1852) 🔻
Salvador Cammarano - Luísa Muller (1853) 🔻
Santos Lima - Era uma vez um rei... (1857) 🔻
Savério Mercadante - Zaira (1837)
 🔻

Silvestre Silvério - D. Inês de Castro Rainha de Portugal (1901) 🔻
Sousa Lobo - A Cigana e a Moura (1842) 🔻
Teixeira de Carvalho - O Mestre de Avis (1851)
 🔻

Teixeira e Sousa - O cavaleiro teutônico ou A freira de Marienburg (1855) 🔻
Tomás Antônio dos Santos e Silva - El-Rei Dom Sebastião (1818) 🔻
Tomás Ribeiro - A indiana (1873) 🔻
Tristan Bernard - A Moral e o Acaso (Tradução, 1918) 🔻
Um mês de férias (1838) 🔻
Vicente Pedro Nolasco da Cunha - Cora ou O Triunfo da Natureza (1809) 🔻
Victor Hugo - Maria Tudor (tradução de Sousa Lobo, 1843) 🔻
Voltaire - Mérope (tradução, 1786) 🔻
Walter Scott - Ivanhoé (por Alfredo Hogan, 1849) 🔻
William Shakespeare - Otelo (imitação por Rebelo da Silva, 1836)
 🔻

William Shakespeare - Sonho de uma noite de São João (tradução de Antônio Feliciano de Castilho, 1874) 🔻

5 comentários:

  1. Links indisponíveis ou trocados:
    Ernesto Ferreira França - Lindoia (1859)

    Ernesto Pego de Kruger Cibrão - Luís Drama (1860) 🔻

    Joaquim Manuel de Macedo - Teatro Completo 🔻

    Maria Eugênia Celso - O Despertar da Redentora (Princesa Isabel)

    Maurice Leblanc - Coração Surpreendido (1918) 🔻

    Molière - A Escola dos Maridos (tradução de Artur Azevedo, 1897)

    Molière - Sganarello (tradução de Artur Azevedo, 1899)

    Moliere - Tartufo (tradução, 1880)

    O Candidato e o Eleitor (comédia, 1881)

    O Noivo astucioso e o velho enganado

    Pires de Almeida - (1901) Ave, Libertas! (monodrama, 1901)

    Por um triz Coronel Provérbio em um Ato (1880)

    Rodrigo Otávio - Sonhos Funestos (1895)

    S. Carlos - Os fabricantes de moeda falsa (melodrama, 1852)




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, amigão!

      Links arrumados... Abraços...

      Excluir
  2. Link trocado:
    D. R. Formosinho - Sorrisos e Lágrimas (1869) 🔻

    ResponderExcluir